Audi vs BMW vs Mercedes – A competição intensifica-se entre as marcas automóveis de luxo alemãs

0

A Audi, a Mercedes e a BMW são as protagonistas da “guerra dos tronos” que irrompeu no mundo automóvel. As três marcas automóveis de luxo querem cativar novos públicos e outros mercados e por isso mesmo não têm poupado esforços no lançamento intensivo e frequente de novos modelos. A situação preocupa os investidores, que receiam a diminuição significativa do lucro.

A competição por novos mercados e novos segmentos nunca esteve tão ao rubro entre as três marcas alemãs e analistas contactados pela Bloomberg e pelo Wall Street Journal são unânimes em afirmar que esta ‘guerra’ está a corroer os lucros dos três construtores de carros de luxo.

Para já, a arena escolhida para a batalha, os pequenos SUV acessíveis à classe média, vai conhecer um novo capítulo quando a Mercedes lançar o seu GLC Coupe para fazer frente ao BMW X4 e a Audi lançar o seu Q4.

O que está em causa não é só a luta pela supremacia de produtos, mas também uma questão de tornar cada vez mais rentáveis as três marcas, abrindo novos mercados até há pouco tempo exclusivo das marcas generalistas e dos japoneses Toyota, Nissan ou Mitsubishi.

Na sua busca pelo crescimento, BMW, Mercedes e Audi estão a gastar dezenas de milhares de milhões de euros para desenvolver novas tecnologias, construir mais fábricas e criar novos modelos.

Apesar disso, a BMW defendeu a sua liderança global no ano passado, vendendo 1,81 milhões de carros BMW, superando Audi (do grupo Volkswagen), que atingiu os 1,74 milhões, enquanto a Mercedes-Benz chegou aos 1,65 milhões de veículos.

Mas a concorrência está a acelerar, até porque as vendas dos concorrentes diretos da BMW cresceram mais em 2014. A Mercedes-Benz aumentou as vendas em 13% e a Audi em 10%, enquanto a BMW foi quem menos subiu (9,5%).

Os lucros dos três fabricantes em 2014 assentaram em fortes volumes de vendas, mas as margens de lucro, com exceção da Mercedes, estão a mostrar sinais de alguma queda. A Mercedes-Benz está a beneficiar de ter investido mais cedo no pesado desenvolvimento de novos modelos, fazendo com que o retorno sobre as vendas de automóveis seja atualmente mais rápido.

“O nosso objetivo é atingir um recorde no volume de vendas em todo o mundo este ano”, disse o presidente executivo da BMW, Norbert Reithofer.

Por seu lado, a Audi, com um programa ambicioso de investimento, quer investir 24.000 milhões de euros até 2019 em inovação, novos modelos e ampliação de fábricas em todo o mundo, o que tem como outra face da moeda, menos distribuição de dividendos para os acionistas. Em 2014, a margem de lucro da Audi diminuiu para 9,6% das vendas, quando em 2013 atingiu os 10,1%.

A marca do grupo Volkswagen está a construir novas fábricas no México e no Brasil e prepara-se para expandir a linha de carros de luxo e veículos utilitários desportivos para 60 modelos até 2020 contra os 52 atuais.

“Os lucros a apresentar no futuro vão refletir os grandes investimentos previstos”, disse Axel Strotbek, diretor financeiro da Audi.

Esta rivalidade entre os três fabricantes tem tido como consequência uma intensa competição de preços, oferecendo aos compradores grandes descontos, afirmam alguns analistas.

A Audi, que tem uma diferença de menos 70 mil carros em relação ao líder BMW, está a fazer de tudo para bater o seu rival, oferecendo descontos “comparáveis às marcas generalistas”, disse Arndt Ellinghorst, analista do setor automóvel da empresa Evercore ISI.

Os fabricantes de carros de luxo estão à procura de maiores volumes de vendas, colocando no mercado veículos mais acessíveis, tais como os carros compactos mais pequenos.

Para Ferdinand Dudenhöffer, diretor do Centro de Pesquisa Automóvel da Universidade de Duisburg-Essen, “esta é uma estratégia arriscada”.

Num estudo publicado em abril, Ferdinand Dudenhöffer concluiu que, por exemplo, o lucro por carro da Audi caiu mais do que a Mercedes-Benz porque o crescimento de vendas da Audi está mais dependente de carros mais pequenos, como o A3, um dos seus modelos mais vendidos.

O estudo indica que o lucro antes dos impostos da Audi por carro é de 2.958 euros, enquanto a Mercedes-Benz ganha 3.398 euros, isto porque “a Mercedes está a vender por valores mais altos e modelos maiores”, disse Dudenhöffer.

Na batalha dos carros de luxo alemães, a marca é tudo. Max Warburton, analista da Bernstein Research, disse num relatório recente que os fabricantes de automóveis europeus estão a gastar mais dinheiro em anúncios para vender os seus carros do que no aço para construí-los.

A Daimler (Mercedes-Benz) está a gastar cerca de 6.000 euros por carro em publicidade e ‘marketing’ em comparação com os 3.000 do grupo Volkswagen, ou os 1.500 da Ford ou da General Motors, diz Max Warburton.

Por: LUSA | Fonte: Notícias ao Minuto

Proteja o seu carro novo com a ajuda da geolocalização.

Share.
Saiba mais sobre:   Mercado e legislação

Comments are closed.